Centro de Defesa da Cidadania e dos Direitos Humanos Marçal de Souza Tupã-i

Centro de Defesa
da Cidadania e dos
Direitos Humanos Tupã-i

Marçal de Souza

Rua Juruena nº 309, Bairro Taquarussu
CEP: 79006 -050 Campo Grande - MS
Telefone(67) 3042 3440 Horário de atendimento 13h30 as 18h00

Fique por dentro

enviar
Para receber nosso informativo eletrônico por e-mail, digite seu e-mail no campo acima, e clique em "enviar".

Notícias

buscar
Digite uma palavra no campo acima e clique em "buscar".

Rapaz que teria levado tapa de Puccinelli vai ao IMOL fazer exame de corpo delito

23 de julho de 2010

O montador de acessórios de carro Rodrigo Campos Roque, 23, que disse ter levado um tapa no rosto do governador André Puccinelli, do PMDB, candidato à reeleição, vai hoje à tarde ao Imol (Instituto de Medicina e Odontologia Legal), onde será submetido ao exame de corpo de delito. O rapaz ainda carrega sinais das algemas nos pulsos.

O episódio ocorreu anteontem durante uma carreata do peemedebista. Roque afirma ter sido vítima de agressão, mas o boletim de ocorrência registrado na Polícia Civil narra que ele é quem agrediu o governador.

Desde a noite do ocorrido, o montador de acessório tenta registrar o caso como o ofendido, mas a polícia tem negado. Ele procurou ajuda do CDDH (Centro de Defesa dos Direitos Humanos) Marçal de Souza, mas ainda assim, as autoridades desprezaram a proposta.

Para a polícia, a briga já está registrada e, se o rapaz quiser provar que é inocente, deve fazer isso durante as investigações.

Rodrigo Roque disse que tem três testemunhas que o viram apanhando do governador. O CDDH prometeu denunciar a recusa do registro policial ao MPE (Ministério Público Estadual) e a Corregedoria da Polícia Civil.

Versão do rapaz diz que ele foi à feira livre do conjunto Aero Rancho, em Campo Grande. Lá encontrou Puccinelli distribuindo panfletos. O rapaz narrou ao CDDH que o governador lhe entregou um papel e disse: “Vocês veem aí que os jornais só falam bem de mim, que estou na frente nesta eleição”. O montador retrucou: “os jornais não falam só bem do senhor, alguns jornais falam que o senhor rouba também”.

O governador, então, segundo versão de Rodrigo Roque, perguntou ao rapaz por que é que ele o teria chamado de ladrão. “Eu expliquei para o governador que eu estava apenas perguntando sobre as notícias dos jornais”.

Dali em diante, segundo o montador de acessórios, Puccinelli pôs a mão sobre seu ombro direito e “apertou forte”. “Senti uma dor muito forte, tentei-me afastar-me... e o governador André Puccinelli me deu um tapa na cara. Eu reagi instintivamente para me desvencilhar da agressão que eu estava sofrendo, dando um chute nas pernas do governador André Puccinelli. Em seguida fui imobilizado e algemado pelos seguranças do governador”, narrou o rapaz ao CDDH.

Outra versão

Já no boletim de ocorrência e de acordo com versão da assessoria imprensa do governador, o rapaz estaria bêbado, informação que ele nega, e teria xingado Puccinelli de ladrão. Questionado pelo candidato a razão da ofensa, Rodrigo Roque teria tentado dar uma tapa no governo, gesto contido pelo próprio Puccinelli. Em seguida, segundo o boletim policial, o rapaz foi levado para a delegacia depois.

O montador de acessórios de carro disse que na delegacia tentou registrar o caso como vítima, mas, segundo ele, assinou o documento como se fosse o agressor para “não ficar preso”.

MIDIAMAX

Veja mais

CDDH-Marçal de Souza

Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial
deste website sem autorização.