Centro de Defesa da Cidadania e dos Direitos Humanos Marçal de Souza Tupã-i

Centro de Defesa
da Cidadania e dos
Direitos Humanos Tupã-i

Marçal de Souza

Rua Juruena nº 309, Bairro Taquarussu
CEP: 79006 -050 Campo Grande - MS
Telefone(67) 3042 3440 Horário de atendimento 13h30 as 18h00

Fique por dentro

enviar
Para receber nosso informativo eletrônico por e-mail, digite seu e-mail no campo acima, e clique em "enviar".

Notícias

buscar
Digite uma palavra no campo acima e clique em "buscar".

Protesto faz assembléia encerrar sessão mais cedo

23 de setembro de 2010

Manifestantes lotaram hoje a Assembleia Legislativa na manhã de hoje cobrando investigação sobre denúncias envolvendo a casa.

O protesto, organizado por 30 entidades como a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e a Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) fez barulho em plenário.

O presidente da Casa ficou irritado quando algumas pessoas começaram a jogar moedas no espaço destinado aos deputados e resolveu encerrar a sessão, por volta das 9h40.

Dos parlamentares, os manifestantes receberam a notícia de que a Corregedoria vai abrir processo para apurar as declarações feitas pelo 1° secretário do Legislativo, deputado Ary Rigo (PSDB), feitas ao ex-secretário de Comunicação de Dourados, Eleandro Passaia.

Depois de ouvir as partes envolvidas, será elaborado relatório ao Conselho de Ética da Assembléia. O corregedor Maurício Picarelli (PMDB) diz que, por se tratar de ano eleitoral, "ocuidado será redobrado, para evitar injustiças".

Com apitaço e cartazes, os manifestantes continuam no Parque dos Poderes, agora na sede do Ministério Público Estadual. A intenção é pressionar por investigação sobre repasses irregulares ao TJ, ao governo e ao MPE.

A Polícia Militar foi acionada para acompanhar as manifestações e evitar depredações.

Representante da CUT, Alexandre Costa, diz que ao MPE será entregue mesmo documento que ontem foi enviado à Polícia Federal, com pedido de investigação exemplar.

É a segunda onda de manifestações provocadas em consequência da Operação Uragano, que prendeu prefeito, secretários, empresários, e vereadores em Dourados. No município, o maior alvo dos protestos é a Câmara Municipal.

Campo Grande News

Veja mais

CDDH-Marçal de Souza

Todos os direitos reservados.
Proibida a reprodução total ou parcial
deste website sem autorização.